quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Real Tears


É madrugada, não lá fora, aqui dentro! Enquanto os sorrisos alheios são tocados pelo brilho do sol, do outro lado da janela. Aqui o vento frio beija minhas marcas de agua salgada, que continuam rolando pelo rosto. Eu queria deixar de ser grande sabe? Eu queria não me importar mais com cabelo e maquiagem, não me preocupar com o que vai acontecer amanhã, e só chorar no colo da minha mãe, como eu fazia quando tinha cinco anos e machucava o polegar. Sejamos sensatos, minha mãe nem deve saber que estou chorando desse jeito, muito menos imaginar a dor que está me consumindo aos poucos. Eu daria tudo por um pouco menos de angústia, eu só queria ser criança de novo, porque eu só chorava por besteira e só havia dor física. Hoje eu quero correr para qualquer lugar, longe o suficiente para que a tristeza não me encontre; isso está me dilacerando, está acabando com toda a esperança que eu tinha em mim, e cada vez que eu me lembro a dor aumenta. Ver chorando alguém que você ama, olhar para trás e ver alguém que te fez sorrir, e imaginar que hoje esse alguém já não habita o mesmo mundo que você; a vida deve achar que por sorrir tanto sou imune a dor. Mas eu preferiria continuar pequena e sentindo dores físicas, do que passar batom e chorar feito louca como se as coisas pudessem mudar. Tá doendo, como se estivessem levando um pedaço de mim, e o lado cruel do mundo começa a aparecer; o que eu posso fazer se só queria meus cinco anos e o colo da minha mãe de volta?

2 comentários:

  1. :'(

    "Ver chorando alguém que você ama, olhar para trás e ver alguém que te fez sorrir, e imaginar que hoje esse alguém já não habita o mesmo mundo que você."

    dispensa comentários :'(

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...