quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Por Trás dos Muros


Para ouvir: Paramore - The Only Exception
Há uns dias atrás eu estava acordando muito cedo. Lembro-me que o despertador gritava em meus ouvidos e ainda assim, eu insistia em dormir mais cinco minutos que poderiam facilmente se multiplicar em cinco horas. As vezes eu gastava meu tempo de comer, dormindo. Me vestia com muita pressa e até colocava o uniforme do avesso. Corria pra encontrar as pessoas que fariam daquela manhã, uma das melhores da minha vida. Eu sorria de maneira tão sincera, e sentia os raios de sol recente penetrando minha pele; eu brilhava, mas nunca fazia isso sozinha. Eu me lembro que sempre reclamava de quase tudo, mas ali eu fui cem por cento feliz.

Hoje eu estou acordando um pouco mais tarde, mas continuo brigando com o despertador. Me alegro quando acordo atrasada, porque parece que assim o dia vai durar menos. Me visto de maneira tão diferente que quase não me reconheço mais, e até tomo café, mas ele nunca tem gosto de nada. Continuo olhando para a esquina onde costumava esbarrar com meus anjos, e meus olhos se encontram desesperados porque já não os vejo. Todos os dias desde aquele último, fico me perguntando quando foi que deixei de ser feliz, fico me perguntando onde foi que meus sorrisos se esconderam, e meus anjos também.

Se você quer saber a verdade, crescer é terrível. Eu amava ter que me preocupar apenas com as semanas de provas e com a nova turma do ano seguinte. Eu reclamava, mas ainda assim amava acordar cedo e encontrar meus melhores amigos com aquele humor inabalável, me fazendo rir das sete horas da manhã até quando Deus quisesse. E aquele professor rabugento que brigava quando eu dormia durante e aula e acordava com a cara amassada, ai que saudade, ai que falta você me faz!
Eu sinto saudade daquele lugar, daquele pátio e daquela quadra. Sinto saudade dos sorrisos barulhentos e felizes que hoje em dia já não são tão familiares. Sinto saudade do uniforme ridículo que já não cabe mais em mim, definitivamente eu não devia ter feito de pano de chão! Sinto falta das raras visitas à diretoria, eram um choque de adrenalina e emoção que eu não poderia ter deixado pra trás.

Mas de tudo isso, eu sinto mais falta é de mim mesma. Da pessoa radiante que nós éramos, porque eu não brilhava sozinha, todos transmitíamos luz juntos, todos eram felizes juntos. E quando a gente menos esperava, simplesmente acabou! Fechamos nossos livros, dobramos nossas camisetas ridículas, e ficamos com as fotografias que nos permitem sentir um resto de felicidade, por saber que um dia fomos tão completos ao lado um do outro.

Crescer não é horrível pelas novas responsabilidades, não é horrível por perdermos de vista a maioria das pessoas que um dia nos fizeram vibrar de felicidade. É horrível porque passamos a chorar e nos preocupar com coisas que antes, jamais nos afetariam. É não poder chegar na segunda aula, porque se acordarmos atrasados seremos demitidos dos nossos respectivos empregos. É não reencontrar todos os anjos porque assim como nós, eles também têm coisas a fazer, decisões a tomar e novas responsabilidades a assumir.
E depois de revisar todas as minhas alegrias, hoje eu passo em frente àquele portão e vejo pessoas estranhas atravessando-o, vejo desconhecidos vestindo aquela roupa horrível que um dia eu precisei vestir. Sempre tenho vontade de jogar tudo pro alto e voltar correndo pra lá. Atrás daqueles muros existe uma enorme quantidade acumulada de sono e infância, a minha por exemplo, eu deixei por lá. Aqui para fora eu trouxe as lembranças, para um dia contar aos meus netos como o tempo passa rápido, e como eu queria ser sempre aquela adolescente do ensino médio. Aquela foi a minha época, aquele foi o meu lugar. Entre anjos e amores, aqui fora somos obrigados a viver com os olhos abertos e os pés no chão, e simplesmente não temos outra escolha.

4 comentários:

  1. Nossa, que nostalgia!
    Me lembrei de tudo como num filme...
    Também tenho saudade dos meus tempo de escola...
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. NOSSA QUE TAPA NA CARA!!!
    Nossa.... Sem falsidade. Chorei!! =( Sempre Amei Aquela escola e Sempre Vou Ama-la... Mega Saudade, Vc soube descrever Tudo direitinho e com a maior profundidade Possível... Penso Nisso todos Os Dias.. Quando estou dentro Daquele Metro lotado!! =/

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...